28 de dezembro de 2009

Recomendação+Crítica: Avatar



Ficha Técnica:

titulo original: (Avatar)
lançamento: 2009 (EUA)
direção: James Cameron
roteiro:James Cameron
produção:Jon Landau e James Cameron
atores: Zoe Saldana , Sam Worthington , Michelle Rodriguez , Sigourney Weaver , Giovanni Ribisi
duração: 166 min
gênero: Ficção Científica
status: em cartaz
site oficial:http://www.avatarfilme.com.br/
estúdio:20th Century Fox Film Corporation / Giant Studios / Lightstorm Entertainment
distribuidora:20th Century Fox Film Corporation
música:James Horner
fotografia:Mauro Fiore
direção de arte:Nick Bassett, Robert Bavin, Simon Bright, Todd Cherniawsky, Jill Cormack, Stefan Dechant, Seth Engstrom, Sean Haworth, Kevin Ishioka, Andrew L. Jones, Andy McLaren, Andrew Menzies, Ben Procter e Kim Sinclair
figurino:Mayes C. Rubeo e Deborah Lynn Scott
edição:John Refoua e Stephen E. Rivkin
efeitos especiais:Framestore CFC / Gentle Giant Studios / Halon Entertainment / Hybride Technologies / Hydraulx / Industrial Light & Magic / Pixel Liberation Front / Stan Winston Studio / Giant Studios / The Third Floor / Weta Digital



Sinopse:
Jake Sully (Sam Worthington) ficou paraplégico após um combate na Terra. Ele é selecionado para participar do programa Avatar em substituição ao seu irmão gêmeo, falecido. Jake viaja a Pandora, uma lua extraterrestre, onde encontra diversas e estranhas formas de vida. O local é também o lar dos Na'Vi, seres humanóides que, apesar de primitivos, possuem maior capacidade física que os humanos. Os Na'Vi têm três metros de altura, pele azulada e vivem em paz com a natureza de Pandora. Os humanos desejam explorar a lua, de forma a encontrar metais valiosos, o que faz com que os Na'Vi aperfeiçoem suas habilidades guerreiras. Como são incapazes de respirar o ar de Pandora, os humanos criam seres híbridos chamados de Avatar. Eles são controlados por seres humanos, através de uma tecnologia que permite que seus pensamentos sejam aplicados no corpo do Avatar. Desta forma Jake pode novamente voltar à ativa, com seu Avatar percorrendo as florestas de Pandora e liderando soldados. Até conhecer Neytiri (Zoe Saldana), uma feroz Na'Vi que conhece acidentalmente e que serve de tutora para sua ambientação na civilização alienígena.













Crítica:

Somente uma palavra já resume o que é o filme Avatar: Imersão.
Porém, falar muito sobre esse filme ainda é pouco, pois, ainda que seja um filme simples, é um filme extremamente imersivo e de certa forma até mesmo reflexivo. Se tem uma pessoa que consegue levar a magia do cinema as pessoas, essa pessoa é James Cameron, depois de criar a franquia Terminator (O Exterminador do Futuro) e de dirigir filmes fantásticos como Aliens - O Resgate, True Lies e o grandioso Titanic, Cameron ainda vem com essa sua surpresa que é um projeto de mais de 10 anos que se chama Avatar. Avatar é um filme para ser visto no cinema, tamanha a sua grandeza em detalhes e seu belo visual que mistura cenas criadas por computador e cenas com atores de carne e osso, Avatar perde todo seu brilho quando é visto fora de um cinema porque justamente a grandeza e a magia do cinema criam uma espetacular experiência nos olhos dos espectadores que estão assistindo a essa obra.Um filme que fala sobre a questão global da destruição da natureza por parte de nós, seres humanos, bota em questão uma guerra entre as máquinas contra a natureza, onde de forma magistral Cameron mostra como frio e predador é o ser humano e nada pode dete-lo em questão a isso.O tema fé e religião também está presente no longa, uma abordagem que pode soar infantil mas que consegue ter a pureza necessária para tocar não somente as crianças como também os adultos.Um filme para todas as idades, para todos os tipos de pessoas, James Cameron inovou mais uma vez e elevou o nível da computação gráfica no cinema a outro patamar de qualidade, fez sua revolução novamente.

Nota: 10/10


Minha recomendação para fechar o ano com chave de ouro:


4 comentários:

Guilherme disse...

boa!!

preciso ver esse filme! hahaha...

28 de dezembro de 2009 16:32
Mário Fernandes disse...

Realmente esse filme deve ser muito bom. Agora que passou a correria do final do ano, eu e minha esposa vamos assistir essa grande Obra Prima.

11 de janeiro de 2010 21:56
Arthur GoodFella disse...

Discordo em genero numero e grau.Salvo a computação gráfica,o filme não passa de um pastiche de várias outras crônicas.

24 de janeiro de 2010 13:27
Anônimo disse...

Eu e minha família fomos ao cinema para ver esse grande filme.Realmente ficamos impressionados, pois é uma verdadeira obra prima.Pretendo assistir no telão em SP, pois aqui em Cambuí - MG, o cinema é pequeno. Esse filme veio no momento oportuno,pois é muito reflexivo para os terráqueos destruidores de planeta.

25 de janeiro de 2010 13:16

Postar um comentário